Curia Generalis Ordinis Fratrum Minorum Capuccinorum

Log in
updated 11:13 PM CEST, May 26, 2017

Museu Franciscano

Traços Históricos

O núcleo principal do Museu Franciscano foi constituído graças ao Frei Louis-Antoine de Porrentruy (França) que recolheu material iconográfico para a ilustração do volume sobre São Francisco, publicado pela editora Plon de Paris no fim de 1884, com o título Saint François d'Assise. Com o material recolhido para o volume, utilizado só em parte e continuamente aumentado, Louis-Antoine organizou, em 1885, no convento de Marselha (França), um Museu Franciscano. Foi inaugurado em outubro de 1889 pelo Ministro Geral Bernardo d'Andermatt.

No ano seguinte foi necessário ampliar o museu com uma outra sala maior, tanto era o material que chegava. Em 1896 foi aberta uma terceira grande sala.

Para a defesa e proteção do museu o fundador tinha obtido, em 1895, da Santa Sé, o Breve Apostólico Minime nos latet, assinado por Leão XIII. Nele proibia-se, sob pena de excomunhão, de "tirar, alienar, trocar, vender ou simplesmente levar para outro lugar qualquer coisa do citado museu de Marselha".

Porém, nos anos 1903-1904, foi necessária a retirada clandestina das peças mais importantes para a história artística franciscana. De fato, em 1905, em respeito à lei maçônica de julho de 1901, foram vendidos em leilão público todos os objetos presentes no museu. No final de 1912, com as peças salvas pelo Frei Louis-Antoine, ele é reaberto em Roma, na Cúria Geral da Via Boncompagni, e depois é transferido, em 1927, ao Instituto Histórico de Assis e aberto solenemente no dia 29 de novembro de 1929. A partir dessa data o museu seguirá a sorte do Instituto Histórico.

Características do Museu Franciscano

O Museu Franciscano não é um museu artístico, histórico ou arqueológico, mesmo possuindo muitos objetos de alta qualidade artística e de grande valor histórico. Coloca-se, sim, na categoria dos museus especializados. Através dos objetos expostos nas suas salas, o museu ilustra a história da Ordem franciscana.

Embora a idéia desse museu tenha surgido por iniciativa de um frade capuchinho, o fundador não se limitou só à coleta de objetos da própria Ordem, mas estendeu o seu interesse a toda a Ordem Franciscana, aos seus personagens mais notáveis pela fama de santidade, de cultura ou de senso social. Em primeiro lugar nas três principais ramificações da Primeira, Segunda e Terceira Ordem, depois, nas várias famílias e reformas internas da Ordem como conventuais, frades menores, capuchinhos, observantes, recoletos, reformados e outros. No que foi possível, incluiu o franciscanismo de todas as nações, também daquelas onde os franciscanos iam como missionários.

Uma característica especial do museu consiste no fato que documenta a arte e a cultura franciscana através dos séculos, isto é, do século XI ao XX.

O Museu Franciscano, que com o decreto ministerial de 15 de setembro de 1965 foi inscrito entre os museus não estatais (museu menor, diocesano ou religioso, n° 246), está aberto ao público somente sob pedido.

Mais informações

Contato

Última modificação em Quarta, 17 Dezembro 2014 11:45