Ordo Fratrum Minorum Capuccinorum

Log in
updated 10:22 PM UTC, Nov 29, 2021

Novidades literárias

Novidades literárias

Outono de 2021

Novita librarie

Apresentamos as novidades literárias do Instituto Histórico dos Capuchinhos no outono de 2021.

Acta Ordinis. Tabulae capitulorum generalium Fratrum Minorum Capuccinorum, II: 1625-1671, a cura di Vincenzo Criscuolo (Monumenta Historica Ordinis Minorum Capuccinorum, 42). Roma 2021, 24 cm., 607 p., ill. ISBN 978-88-99702-22-9.

COPERTINA MHOMC 42

O presente volume reproduz o manuscrito, assinalado como AG 2 e conservado no Arquivo Geral da Ordem: trata-se do segundo tomo dos Acta Ordinis, relativos à celebração de oito capítulos gerais, respectivamente, dos anos 1625, 1633, 1637, 1643, 1650, 1656, 1662 e 1667 (no primeiro tomo publicado foram tratados os capítulo de 1529 a 1618). Tais capítulos, normalmente com a duração de um mês e com a participação de cerca de 140 padres capitulares, eram fundamentalmente de caráter eletivo, mas neles eram discutidos e resolvidos também os problemas que gradativamente emergiam na vida da Ordem, eram esclarecidas as dúvidas relativas à observância da regra e das constituições e, em geral, eram tratados os vários aspectos da vida dos frades dentro e fora dos muros conventuais. Se, nos primeiros capítulos, as discussões eram comuns, a partir de 1656 surgiram oito comissões capitulares, às quais se confiava o estudo e a solução dos problemas particulares.

Nesses anos, de 1625 a 1667, a Ordem capuchinha experimentou um crescimento constante, seja em nível pessoal, como local:  se, no capítulo geral de 1625, os conventos capuchinhos eram 1.192 e os frades 16.967, quarenta e dois anos depois, no capítulo geral de 1667, registrava-se a presença de 1.509 conventos e 24.764 frades. Tal crescimento numérico comportava o nascimento de novas províncias, com problemas ligados à divisão dos conventos e dos frades, e também à designação de novos âmbitos de expansão e à delimitação das zonas para a esmola. Em forte incremento aparece também atividade missionária, desenvolvida pelos capuchinhos nesses anos não apenas na Europa (normalmente onde era forte a presença anglicana, calvinista e luterana), mas também na África (Egito, Etiópia, Congo, Angola, Benin), Ásia (Turquia, Geórgia, Curdistão, Mesopotâmia) e nas Américas (Canadá, Brasil).

Uma característica dos capítulos gerais capuchinhos é a composição de particulares “Ordenações”, verdadeiras intervenções legislativas que se referem à oração comum e à observância regular, à salvaguarda de um estilo de vida pobre e austero, à formação espiritual e cultural dos jovens, o governo central e das províncias e conventos, à vida e à atividade dos pregadores, à impressão de livros e à precedência entre os frades. Não faltam intervenções normativas particulares, como a proibição de praticar exorcismos, de comer nas celas e de fechá-las à chave, como também a proibição de fumare e consumir tabaco sem uma específica prescrição médica.

Fonte: http://www.istcap.org/component/k2/mhomc-42.html

Última modificação em Sexta, 12 Novembro 2021 02:11