Ordo Fratrum Minorum Capuccinorum

Log in
updated 5:38 AM CEST, Sep 14, 2019

“São bons estes Capuchinhos!”

Loreto. Em 25 de março passado, a liturgia festejava a Solenidade da Anunciação, isto é, recordando o anúncio do Anjo Gabriel a Maria, em cujo ventre o Verbo de Deus assumia a natureza humana, dando início ao mistério da Redenção. E, em tal circunstância, o Papa Francisco se dirigiu em peregrinação a Loreto, por ele definido “lugar privilegiado para contemplar o mistério da Encarnação do Filho de Deus”. E acrescentou: “Com efeito, aqui estão conservadas as paredes que, segundo a tradição, provêm de Nazaré, onde a Virgem Santa pronunciou o seu ‘sim’, tornando-se a Mãe de Jesus. Desde que aquela que é denominada a ‘casa de Maria’ se tornou presença venerada e amada sobre esta colina, a Mãe de Deus não cessa de obter benefícios espirituais para aqueles que, com fé e devoção, vêm aqui rezar”.

A visita do Santo Padre a Loreto foi marcada por tantos momentos muito belos e comoventes, como o encontro com os peregrinos, com os enfermos e com as mães dos nascituros, mas sobretudo a assinatura da Exortação Apostólica pós-sinodal “Christus vivit” aos jovens, que será publicada em 2 de abril próximo. No belo discurso pronunciado na praça, diante de dez mil peregrinos, o Papa não deixou de dirigir a sua palavra de maneira especial aos Capuchinhos, que, há muitos anos, guardam o Santuário da Santa Casa. Disse, entre outras coisas: “um pensamento especial aos Padres Capuchinhos, aos quais foi confiada a guarda deste insigne Santuário, tão querido ao povo italiano. São bons estes Capuchinhos! Sempre no confessionário, sempre, a ponto que, quando se entra no Santuário, há sempre pelo menos um deles, ou dois, três, quatro, mas sempre, quer seja de dia, quer no final do dia, e este é um trabalho difícil! São bons e agradeço-lhes de maneira especial este precioso ministério do confessionário, contínuo durante o dia inteiro. Obrigado!”. Depois, o Papa expressou também um pedido: “peço também calorosamente aos Frades Capuchinhos um serviço adicional: o serviço de prolongar o horário de abertura da Basílica e da Santa Casa no fim do dia e também no início da noite, quando há grupos de jovens que vêm rezar e discernir a sua vocação”.

O Papa Francisco precisou, além disso, a identidade do Santuário, visto como a “casa dos jovens” (lugar de discernimento vocacional nos três momentos de escuta, discernimento, decisão), a “casa da família” e a “casa dos enfermos”. E a todos confiou uma missão: “levar o Evangelho da paz e da vida aos nossos contemporâneos, muitas vezes distraídos, levados pelos interesses terrenos ou imersos num clima de aridez espiritual”.

Antes de concluir, lembramos que, desde 25 de março de 2015, a Fraternidade dos Frades Menores Capuchinhos do Santuário de Loreto, antes confiada à Província das Marcas, agora é confiada ao cuidado direto do Ministro Geral. A decisão foi estabelecida por um “Decreto”, assinado naquele dia pelo Delegado Pontifício para a Santa Casa, Dom Giovanni Tonucci, e pelo então Ministro Geral dos capuchinhos, Fr. Mauro Jöhri. Por esta razão, por ocasião da visita do Papa Francisco, não deixou de estar presente, ao lado da numerosa fraternidade dos Capuchinhos, também o atual Ministro Geral, Fr. Roberto Genuin.

Fotos – Youtube www.vaticannews.va

Última modificação em Terça, 30 Abril 2019 11:25