Curia Generalis Ordinis Fratrum Minorum Capuccinorum

Log in
updated 12:47 PM CET, Nov 17, 2017

Encontro dos “Project Managers”

Roma, outubro de 2017. A cada ano, no mês de outubro, os “Project Managers” e a Comissão Internacional para a Solidariedade Econômica se reúnem na Cúria Geral dos Frades Menores Capuchinos em Roma para examinar os numerosos pedidos de sustento aos missionários, à formação inicial e a outros projetos.

Após um exame das solicitações, é emitida uma recomendação oficial para o Ministro Geral e seu Conselho, para que os pedidos avaliados sejam tomados em consideração e aprovados no encontro de novembro. Por este motivo, o trabalho, desenvolvido por estes irmãos que provêm de todo o mundo e que amadureceram particulares experiências e preparação para avaliar as propostas dos projetos enviados, é um importante serviço para o Ministro Geral e seu Conselho, que deverão determinar quais pedidos devam receber financiamentos no ano fiscal seguinte.

Apesar da disponibilidade dos recursos para a Solidariedade Econômica, nos últimos anos tem-se registrado uma queda dos mesmos. Daí que nem todos os pedidos podem ser contemplados e, portanto, deve ser estabelecida uma ordem de prioridade.

Os subsídios para a atividade missionária da Ordem e a formação inicial dos jovens frades nas circunscrições recentes têm a prioridade, a partir do momento em que a implantatio da Ordem em novas partes do mundo deve ser sempre uma prioridade para toda a Ordem.

Os Project Managers e os membros da Comissão levam em conta os recursos que uma nova circunscrição já dispõe para desenvolver uma autossubsistência baseada em uma economia local fraterna. A estas novas circunscrições, é dado um subsídio na perspectiva de se sustentar por si sós no futuro.

Como segunda instância, os Project Managers e a Comissão de Solidariedade levam em consideração os pedidos relativos a projetos. Frequentemente, estes pedidos de projetos são para a constituição de novas fraternidades ou de casas de formação em lugares onde a Ordem não foi ainda implantada anteriormente.

Outros projetos que o Departamento de Solidariedade considerou foram aqueles que podem levar à geração de uma renda em uma circunscrição a caminho da autossubsistência.

Outros projetos considerados foram aqueles em apoio às necessidades das Clarissas Capuchinhas. Nos últimos anos, o Departamento de Solidariedade também recebeu pedidos para bolsas de estudo para frades africanos, que pretendem estudar ciências da saúde ou da educação nos próprios países, de modo a serem preparados para trabalhar em instituições ou programas de trabalho coerentes com o nosso carisma e, ao mesmo tempo, trazer para casa um salário que sirva de entrada para a fraternidade local.

No caso do pedido de projeto, para que a proposta seja tomada em consideração, é necessário que o Departamento de Solidariedade Econômica receba uma nota descritiva do projeto antes de 31 de maio. Em seguida, o material restante que deve ser anexado, isto é, o formulário de pedido preenchido, os projetos arquitetônicos e as plantas dos edifícios (caso se trate de um projeto de construção), o orçamento geral, as estimativas, a escritura de propriedade do terreno e todas as outras informações pertinentes necessárias, devem chegar ao Departamento de Solidariedade até 31 de agosto. A documentação em seguida é digitalizada e disponibilizada em formato eletrônico (em arquivos), de modo que tudo esteja pronto para o estudo dos Project Managers. Todas as cópias eletrônicas são enviadas aos Project Managers, de modo que possam estudá-las antes do encontro.

Quando chegam à Cúria, os Project Managers avaliam cada solicitação de contribuição em base à necessidade de cada circunscrição e elaboram uma proposta para a Comissão de Solidariedade Econômica, em mérito ao total de ajudas que a circunscrição pode receber no ano seguinte. Também é considerado por quanto tempo será necessário o subsídio, com base na particular situação econômica do país e na situação da circunscrição, levando em conta o número dos frades, inclusive aqueles na formação inicial.

Para cada projeto, os Project Managers examinam a viabilidade do mesmo, a sua necessidade, a completeza de dados da solicitação e quanto a circunscrição está em condições de contribuir para sua realização. A partir disso, os Project Managers exprimem um parecer sobre o fato de que o projeto possa receber fundos ou que a solicitação requeira uma ulterior elaboração, de modo a poder ser examinada no ano seguinte.

Os membros da Comissão votam cada um dos projetos que recebem dos Project Managers e elaboram um parecer oficial para o Conselho Geral.

Em todos estes trabalhos, quem quer que esteja envolvido deve também levar em conta os limites de custos; para 2018, o Ministro Geral e seu Conselho já aprovaram um total de 4 milhões de dólares para todas as contribuições e projetos. A partir do momento em que o total das solicitações superava 7 milhões de dólares, o trabalho de determinar quais solicitações podem ser aprovadas ou não é difícil. Por isso, os treze frades que formam estes dois grupos exercem, de forma responsável, com seriedade e como um serviço a toda a Ordem, o encargo de estudar a melhor maneira de empregar os recursos para expandir e implantar o nosso carisma em todo o mundo.

O trabalho dos Project Managers e da Comissão de Solidariedade é um trabalho de assistência técnica ao Ministro Geral e seu Conselho. No encontro do Conselho Geral de novembro, a decisão sobre cada solicitação compete ao Ministro e seu Conselho. Concluindo, é um dever uma palavra de agradecimento para aqueles irmãos que dispõem o seu talento a serviço da Ordem para ajudar o Ministro Geral e o Conselho neste importante trabalho.

Galeria de fotos

Última modificação em Terça, 14 Novembro 2017 13:38
Mais nesta categoria: « Ano Acadêmico 2017/2018