Ordo Fratrum Minorum Capuccinorum

Log in
updated 5:37 PM CET, Nov 24, 2020

Nos coloquemos em escuta

Com o segundo dia do Conselho Plenário da Ordem iniciou o trabalho de escuta. Neste dia os frades escutaram o prof. Mauro Magatti. O tema da sua conferência diz respeito ao trabalho nas suas três dimensões que na concretude cotidiana poderia ser uma possível resposta aos desenvolvimentos do trabalho na sociedade atual. Tem uma urgência de redescobrir o trabalho, que demonstram o nosso "cuidar" dos outros; procurar viver o trabalho "produtivo" como parte da nossa missão; procurar envolver-se ativamente nos processos da sociedade em que vivemos. O prof. Magatti não se conteve em dizer: "A Ordem franciscana que não é profética, é como o sal que não tem nenhum sabor!"

O testemunho que acompanhou este dia foi o de Pedro Opeka, missionário lazarista em Madagascar.

Na segunda parte da tarde os frades foram motivados a trabalhar nos pequenos grupos, para assumir as reflexões e não perder as preciosas intuições oferecidas dos dois relatores- testemunhos.

Convidamos a escutar os discursos e os testemunhos no áudio; e colocamos a vossa disposição os textos entregues pelos relatores.

Perfil do prof. Mauro Magatti

Sociólogo e Economista, laureado em Disciplinas Econômicas Sociais (DES) pela Università Bocconi de Milão em 1984, conseguiu o PhD em Social Ciências a Canterbury (UK) em 1991.

Pesquisador universitário desde 1994 pela Faculdade de Ciências Políticas da Universidade Católica de Milão, desde 2002 é professor ordinário em Sociologia geral. A partir de 2006 a 2012 foi Presidente da Faculdade de Sociologia na Universidade Católica de Milão onde ensina Sociologia da globalização e Análises e instituições do capitalismo contemporâneo.

No curso dos anos, publicou numerosas monografias e artigos em revistas italianas e estrangeiras, partecipando a network universitários internacionais e dirigindo projetos para agências estatais, privadas e caritativas.

É membro da Editora Board do Internacional Journal of Political Anthropology, da Comissão Científica de Sociologia e da Comissão de redação de Estudos de Sociologia, Diálogos internacionais e Atualizações Sociais.

De 2008-9 é professor de Sociologia da religião na Faculdade de Teologica da Itália Setentrionale (Norte).

Mauro Magatti (WORD - PDF)

Pedro Opeka, sacerdote, lazarista

Nasceu na periferia de Buenos Aires (Argentina) em 29 de junho de 1948 de genitores eslovenos, ambos fugidos da perseguição comunista, apenas cessada a segunda guerra mundial. Aos 17 anos entra nos Lazaristas e estuda em Ljubljana (Eslovênia) e em Paris. Ordenado sacerdote (1975), enviado a Madagascar como pároco e começa a trabalhar entre os marginalizados.

Em 1989 os superiores o chamam a Antananarivo para a formação dos seminaristas. Pedro Opeka, porém, começa contemporaneamente a dedicar tempo aos marginalizados da capital, que trovavam abrigo na descarga às portas de Antananarivo. Inicia com eles um diálogo, mostrando a eles respeito e procurando ajudá-los a sair da miséria.

Hoje, 25 anos depois, com 500 voluntários, a comunidade chamada "Akamasoa – bons amigos". Milhares de famílias, que uma vez viviam na descarga, aprenderam a reviver em comunidade, interrompendo definitivamente o círculo infernal da pobreza. Akamasoa hoje compreende 18 vilas (cerca de 20.000 mil pessoas) com toda infraestrutura: asilos, escolas, bibliotecas, ambulatórios, hospitais...

Pedro Opeka recebeu numerosos reconhecimentos: a medalha de Cavaleiro da Legião de Honra (2008), o prêmio Cardeal François-Xavier Van Thuán para a solidariedade e desenvolvimento (2008), a medalha de ouro da Ordem ao Mérito da República Eslovena (2009). Este ano, foi nomeado pela terça vez para o prêmio Nobel da paz.

Pedro Opeka

« 1 of 2 »