Ordo Fratrum Minorum Capuccinorum

Log in
updated 9:49 AM UTC, Jul 6, 2022

Schola Fratrum - CCB

MAIS QUE ESTABELECER NORMAS É PRECISO INICIAR PROCESSOS... INICIAMOS O PROCESSO DA RATIO FORMATIONIS LOCALIS BRASILIS.

 

            O Papa Francisco, já na Evangelii Gaudium, nos provocava a que, ante um mundo em constante mudança e cheio de possibilidades, é importante manter a vigilância e iniciar processos que nos ajudarão a sermos sinais da presença de Deus, sem deixarmos de lado a nossa fé, nem nos esquivar da realidade que nos cerca. Temos uma missão: fecundar o mundo com o bom odor do Evangelho.

            Diz o Papa:

A Igreja deverá iniciar os seus membros – sacerdotes, religiosos e leigos – nesta “arte do acompanhamento”, para que todos aprendam a descalçar sempre as sandálias diante da terra sagrada do outro (cf. Ex 3, 5). Devemos dar ao nosso caminhar o ritmo salutar da proximidade, com um olhar respeitoso e cheio de compaixão, mas que ao mesmo tempo cure, liberte e anime a amadurecer na vida cristã (EG 169).

            De modo que, somos provocados a abrir os olhos e o coração ao Espírito e ver que ele está fazendo uma coisa nova (Cf. Is 43,19), e nós não podemos ser surdos ou indiferentes aos apelos do Senhor, pois como peregrinos e forasteiros neste mundo (Cf. 1 Pd 2, 11) nos colocamos como aquele povo do Caminho (At. 9,2) sempre em marcha.

RATIO FORMATIONIS: UM CAMINHO DE APRENDIZADO, ADESÃO E INTEGRAÇÃO

Uma espiritualidade é uma identidade em ato.

Nossa Ordem Capuchinha, sensível aos ventos do Espírito, sob a guia de bons e vigilantes ministros gerais, tem nos proporcionado dar passos adiante na nossa caminhada, visando ser uma presença viva do Cristo na história.

O Espírito é dinâmico e gera dinamismo. Ele nos conduz na história.

Nos últimos doze anos, três documentos soam de maneira especial. Sem esquecer as cartas dos Ministros Gerais e outros documentos, pensamos ser esses três, simbólicos e dinamizadores da nossa vida do ponto de vista institucional, mas sobretudo carismático: as Constituições, aprovadas em 2012, o oitavo CPO em 2015 e a Ratio Formationis, aprovada em 2019.  

A Ratio chega em boa hora, e vem provocar a Ordem a crescer em dinamismo e consistência, pois busca ao mesmo tempo apontar para os elementos fundamentais do eixo carismático, porem acolhendo e valorizando os elementos culturais onde se vive o carisma.

No tocante a tal texto pode-se dizer que todo documento pode ser visto a partir de vários ângulos. No que se refere a nossa Ratio pensamos ser bem significativos três momentos: sua preparação, elaboração e recepção ou aplicação.

Em seu processo de preparação, a Ratio contou com boa participação dos irmãos que enviaram sugestões, acréscimos etc. ou seja, um documento para a Ordem e feito pela Ordem, não só no sentido institucional, mas de confecção a partir do que os irmãos indicaram. No processo de elaboração, além dos redatores, teve a contribuição de equipes de revisão e a apreciação do 85º Capítulo Geral celebrado em 2018. Já a aprovação final, deu-se, naturalmente, pelo ministro Geral e seu conselho em dezembro de 2019. Cabe-nos agora o último passo, que é a recepção ou aplicação do documento nas várias realidades da Ordem.

 

A APLICAÇÃO/RECEPÇÃO DA RATIO NA CCB

Uma coisa é o depósito, outra é o conteúdo, embora as duas realidades não sejam antagônicas, mas antes nos possibilitam mantermo-nos fieis e sermos criativos, ou seja, complementam-se. Com essa compreensão buscamos dar início ao processo de implantação da Ratio em nossa realidade brasileira, sendo fieis ao texto proposto, porem buscando caminhos para adaptar à nossa realidade numa tônica de fidelidade criativa (VC, 37). A primeira iniciativa foi a impressão do texto. A capa comtempla uma arte feita por um jovem frade – frei Cássio (Prov. S. Paulo) que buscou imprimir um pouco de brasilidade ao nosso texto. O rosto do jovem frade estampado na capa é mestiço, como nós brasileiros o somos, e está inserido num panorama que busca comtemplar todas as regiões do Brasil, com sua fauna e flora, com seus santuários e símbolos.

Para animar e articular a área da formação na nossa conferência, temos a Schola Fratrum, que não quer ser um espaço de transmissão de informações somente, mas de vivências fraternas, que supõe estudo, oração, diálogo, entrosamento entre os frades das diversas circunscrições, especialmente no tocante a formação.

Em 2019, tivemos um encontro da Schola Fratrum para tratar da Ratio, mesmo ainda na forma ad Experimentum, em Hidrolândia-GO, com a presença de frei Jaime Rey e frei Mariosvaldo. O referido documento foi aprovado no final de 2019, e já tínhamos programado para uma edição da Schola Fratrum em março de 2020, com o objetivo de trabalhar a Ratio Localis. Infelizmente a pandemia não permitiu. De modo que nos contentamos em fazermos trabalhos nas circunscrições e mantivemos o diálogo com os secretários de formação.

Uma iniciativa em âmbito de conferência foi a de pedirmos a alguns confrades um pequeno parecer ou comentário sobre o nosso documento em estudo, pois cremos que o mesmo deve tornar-se assunto de todos os frades. Seis frades colaboram com nossa reflexão. Cada um falou a partir de sua realidade de atuação como frade. Achamos por bem pedir a confrades sacerdotes e irmãos leigos buscando contemplar essas duas realidades do carisma capuchinho. Levamos em conta também a realidade geográfica, por isso pedimos a irmãos de regiões diferentes do país e ainda levamos em conta o aspecto etário. Ouvir as diversas idades na vida adulta da ordem nos parece salutar. A coletânea dos textos foi entregue na Schola Fratrum.

Mesmo caminhando em meio as incertezas causadas pela pandemia, conseguimos organizar nossa Schola Fratrum para o mês de março de 2022, no seminário Santo Antonio, na Serra de São Pedro-SP. Fizeram-se presentes irmãos de todas as circunscrições e foi uma semana de intensa vivência fraterna e aprofundamento da Ratio Formationis.

Buscamos entrelaçar os conteúdos propostos pela Ratio com três áreas, que achamos por bem enfatizá-las ainda mais: JPIC, oração mental e comunicação.

Esses aspectos são de fundamental importância hoje para a vida da Ordem no Brasil, e não são anexos ou apêndices, mas estão ligados ao eixo existencial mesmo da Ordem. A dinâmica do JPIC deve acompanhar todo o processo formativo, pois está ligado a vivência mesma do carisma, sua incidência no mundo dos pobres, na promoção da paz e cuidado com a criação. A oração mental, herança da tradição capuchinha mais genuína, entre nós quase não se fala, por isso trazê-la para a nossa experiência, falar sobre ela e, sobretudo praticá-la é importantíssimo. E o tema da comunicação, hoje mais do que nunca tão necessário, e ao mesmo tempo tão desafiador, pois nos expõe, para o bem e para o mal, deve acompanhar e ser acompanhado durante todo o processo formativo.

Essa edição da Schola Fratrum não visava concluir com um projeto de Ratio Localis pronto, pois requer a dimensão de processo, o que não se esgota em uma semana. Leve-se em conta ainda que a nossa conferência é vasta e diversa. Mesmo que algumas circunscrições já tenham feito um Instrumentum Laboris, requer de nossa parte como conferência um trabalho mais longo e detalhado. Não extenso, mas delimitado no tocante ao que propomos como Ratio Localis da Conferência e o que cada circunscrição vai acrescentar. Nosso encontro foi o “pontapé” para o caminho de elaboração comum.

A Schola Fratrum 2022 foi enriquecida com a participação dos secretários de Formação da Ordem, frei Charles e Frei Jaime, e frei Joel, responsável pelo JPIC da Ordem, e ainda com a presença dos conselheiros de formação da Ordem para as Américas, frei Brian Stacy (NAPCC), Ramon Murrillo (CCA) e Roberto Martinez (CONCAM).

Concomitante ao nosso encontro aconteceu também o encontro do JPIC da CCB e com a presença de confrades das demais conferências (CCA e CONCAM).

Durante a semana de nosso encontro tivemos encontro dos secretários de formação da Conferência, e houve a eleição para a nova coordenação da Schola Fratrum, que ficou sob os cuidados dos freis Adriano Borges (RJ), Daison Fermino (RS), Alexandre (CE) e Klenner Antonio (BC). Também aí recebemos o comunicado da Cúria Geral, nomeando frei Adriano Borges (Prov. Rio de Janeiro) como novo membro do Conselho Internacional de Formação pela CCB.

 

Frey. Tiago Santos da Silva OFMCap